Fechar hospital neste momento pode ser ato de avacalhação política

Essa história de o Hospital Padre Colombo (HPC) fechar não é novidade. Sempre quando  o governo do Amazonas ‘esquece’ de repassar o dinheiro para a aquisição do material necessário, vem logo a notícia do fechamento da unidade.

Por ser assunto trivial eu não acredito que desta vez seja ‘batido o martelo’ para o fechamento do hospital. Se caso ocorrer mesmo, aí o governo do Amazonas vai ter que explicar a ausência do dinheiro nos cofres do HPC.

É bom lembrar que o HPC não é do estado, é da diocese de Parintins. O Bispo Dom Giuliano Frigeni administra com uma equipe de profíssionais escolhida por ele. Mas, isso não vem ao caso.

Estou preocupado, pois o HPC é uma referência no baixo Amazonas. Com bons profissionais não pode fechar as portas, pois a saúde se tornaria um caos, a final, só o Jofre Cohen não iria aguentar o turbilhão de atendimentos.

Agora, se isso for ‘jogada política’ é uma  tremenda avacalhação com a população de Parintins. Seria efeito tipiti (espremer e espremer alguém), ou seja, atribuir a culpa ao prefeito Bi Garcia. Bi Garcia não tem apoio do governador Wilson Lima para a reeleição. Aí é que se compara ao efeito tipiti.

Sabe o que é pressão? Poisé!

Por falar no Bi Garcia como deputado estadual e, até mesmo, como prefeito estendeu a mão diversas vezes para salvar o Hospital deste vexame. O homem viajou, se articulou e conseguiu mudar a história.

Quem não lembra da grana que o Hospital recebeu 2,7 milhão nesse período de pandemia. O bispo dom Giuliano Frigeni foi quem recebeu o dinheiro. Tudo isso só foi possível graças à articulação do Bi Garcia.

É Por isso que eu reafirmo: essa história de fechar o Hospital é velha, porém, só ficarei extremamente desapontado se essa nova história for jogada política, aí, seria avacalhação total.

Blog Ilha Tupinambarana

você pode gostar também