“Não compactuamos com acusações sensacionalistas e irresponsáveis”, diz Bi Garcia

Continuamos trabalhando no Jofre Cohen, desde as 9h30 deste domingo, com o objetivo claro de dar o suporte necessário para que o hospital funcione plenamente.

Ocorreu a situação do óbito do paciente Silvano Cidade e determinei imediatamente que se faça um processo administrativo para apurar o que aconteceu no amanhecer do dia, porque estive com o paciente, conversamos. Ele estava tranquilo, sendo bem atendido pela equipe médica, seguindo todo o protocolo estabelecido. Vamos apurar as responsabilidades e determinei que seja apresentado urgentemente um parecer sobre essa perda.

Não tenho dúvida de afirmar que nós tínhamos oxigênio suficiente. Houve queda de pressão na rede, mas isso não é motivo para levar pacientes a óbito. Se houvesse uma falta de oxigênio, a exemplo do que aconteceu em Manaus e outros municípios, correríamos risco. Não é nosso caso.

O hospital tinha, no momento do óbito, 17 balas de oxigênio abastecidas para casos de emergência. Já determinei apuração e nós vamos continuar trabalhando para salvar o máximo de pacientes que estão lutando contra a Covid-19. Estou dentro do hospital trabalhando quase que 24 horas por dia.

Não buscamos holofotes com matérias sensacionalistas, baseadas em boatos, inverdades.

Diferentemente do que foi divulgado, as usinas de oxigênio não são alugadas. Elas foram adquiridas pela Prefeitura. Foram as primeiras usinas instaladas nessa segunda onda da pandemia no estado. Não compactuamos com acusações sensacionalistas e irresponsáveis.

Houve risco de desabastecimento no dia 15 de janeiro em decorrência da crise ocorrida em Manaus, mas agimos prontamente para garantir o restabelecimento no estoque do hospital. Estabelecemos uma ponte aérea de carga que traz uma média de 80 balas de oxigênio ao nosso município diariamente.

Não vamos parar! Estamos lutando para salvar vidas.

Por Bi Garcia

você pode gostar também