Pesquisa da brasileira estuda relação de morcegos com a covid-19

Foto: Reprodução

Um grupo de cientistas da Universidade de Brasília começou uma pesquisa para descobrir se morcegos brasileiros interagem com a covid-19. São especialistas em protozoários, vírus, sequenciamento genético e proteínas.

O estudo faz parte de um conjunto de iniciativas da UnB para analisar a variedade de códigos genéticos do coronavírus e produzir insumos para detectar o vírus, como destaca o coordenador do programa de pós-graduação em Patologia Molecular da Faculdade de Medicina da UnB, Sébastien Charneau.

A pesquisa começou em janeiro e está prevista para durar 3 anos. Durante esse período, o estudo vai analisar 60 morcegos coletados em diferentes locais do Distrito Federal e de municípios do Entorno. Deles, 40 já foram capturados. A boa notícia é que, até agora, nenhum carregava o coronavírus.

Existe a suspeita que os morcegos sejam reservatórios do vírus que causa a covid-19. Ou seja, eles carregariam o coronavírus, mas não ficariam doentes.

O professor Sébastien Charneau detalhou as três fases do estudo, que pretende criar um banco de dados para prevenir novos surtos.

Entre esses micro-organismos que serão procurados na última etapa estão protozoários e animais unicelulares. Os pesquisadores ainda não conseguiram todos os recursos para manter o estudo até o fim e agora procuram mais investimento.

Agência Brasil

você pode gostar também