Homem acusado de matar acougueiro se entrega a Polícia, mas alega inocência

Ruan Felipe Batista Ribeiro (o pão bolo) se entregou à polícia nesta terça-feira, 9 de março, em companhia de um advogado, alegando inocência no crime do açougueiro Ocimar Lázaro da Silva (35).

“Pão Bolo”, sustenta o álibi de que no momento do crime, no domingo pela manhã, estava trabalhando, fazendo a limpeza de um terreno próximo à própria residência. Entreranto, o argumento é desmentido por testemunhas.

Júlio Cesar Guerreiro (o filé), outro suspeito e preso pela Polícia, momentos após crime no domingo, sobre o telhado do Centro de Costura Dona Cota, Avenida Nações Unidas, acusa Pão Bolo de ser o autor dos disparos.

Para a polícia que estava a procura do principal suspeito do crime, desde domingo, ele mente. Os interrogatórios vão ocorrer e em breve a polícia dará resposta a sociedade parintinense sobre o assassinato.

Ocimar Lázaro da Silva, 35, foi morto ao reagir o assalto no açougue Box da Carne onde trabalhava, localizado a rua Gomes de Castro, próximo ao Curral Zeca Xibelão do boi bumbá Caprichoso.

Filé, teria abordado a moça do caixa exigindo dinheiro e jóias, momento em que Ocimar  apareceu, travou luta corporal com filé e foi atingido pelos tiros efetuados por Pão bolo que  aguardava na motocicleta.

Blog Ilha Tupinambarana

você pode gostar também