77% dos pais de crianças trans afirmam que seus filhos já foram vítimas de bullying na escola

Bandeira Trans — Foto: Caíque Rodrigues/g1 RR

O ambiente escolar brasileiro é hostil para crianças e adolescentes trans — e os principais autores de transfobia são os profissionais de instituições de ensino. Essa é uma das conclusões da pesquisa inédita “Vivências reais de crianças e adolescentes transgêneres dentro do sistema educacional brasileiro”, realizada pela coordenação nacional da área de proteção e acolhimento a crianças, adolescentes e famílias LGBTI+ do Grupo Dignidade — ONG que atua há mais de 30 anos na promoção dos direitos da população LGBTI+. O estudo teve o apoio da UNESCO e do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS.

Foram entrevistados 120 pais, mães e responsáveis que reconhecem ter uma criança ou adolescente transgênero, moradores de 62 cidades em 17 estados brasileiros. Entre as pessoas entrevistadas, 77,5% informaram que seus filhos, crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos, já foram vítimas de bullying transfóbico no ambiente escolar. Entre os adultos autores das violências, que podem ser físicas, verbais, emocionais ou cyberbullying, 65% eram profissionais das instituições de ensino, sendo que 56% deles eram professores.

Fonte: G1

você pode gostar também